Monday, July 21, 2014

[há dias assim] aquele terror dos meses de férias...

Não sei como funciona com os outros pais. Só conheço esta realidade, e esta realidade é aquela que me faz temer os meses de férias e as épocas festivas. Não por ter o miúdo em casa a atazanar-me a cabeça, mas sim por ter que dividir também este período com o pai M. Não é fácil, muitas vezes, chegarmos a um consenso, e aquilo que ambos sentimos é que ficamos sempre a perder em relação ao outro, seja porque o outro tem mais um dia, mais uma noite, mais um fim de semana... No fim, fazemos sempre aquilo que é o melhor para o R., ou pelo menos tentamos, e vamos abdicando daqueles dias que "eram nossos" para que o R. possa ter uns dias de férias melhores. A meu ver, ser pai é isto mesmo: abdicar do que é melhor para nós em prol do que é melhor para eles, os filhos.
Confesso aqui assumidamente que temo as férias grandes, as de Carnaval e as de Páscoa. Temo o Natal e o Fim de Ano. Temo o dia de anos dele, que também tem que ser dividido. Temo porque, para mim, o ideal era tê-lo sempre aqui, sem ter que o partilhar com ninguém. Mas lá está, tê-lo só para mim nunca seria o melhor para ele. Ele precisa de todos os que o rodeiam.
Optámos por manter o R. em casa nas férias. São 2 meses e qualquer coisa que não vai à escola. Porque podemos e porque queremos. Queremos sempre tê-lo perto, mesmo que às vezes tenha que pedir ao R. grande que me permita 15 minutos de silêncio sossegada e tome conta desta cria que consegue pronunciar mais vezes "mamã" em 10 minutos do que eu consigo sequer ouvir!
Estamos em semana sim. Como estivemos a semana passada. E como estivemos no início do mês. Tem sido assim, cansativo mas tão bom. Hoje foi passar o dia ao pai M. e fiquei contente de poder descansar a noite toda, mas a verdade verdadinha é que já estou cheia de saudades e a casa me parece despida e sem nada de interessante para fazer...



Aquele beijo,
*muah*
Ana